Cansaço é pouco…

24 Janeiro 2018

…e devia não se notar no corpo.

Devia abandonar-nos, como a alma faz quando morremos e vamos morar nas memórias das pessoas.

Devia sair do corpo e ir viver enclausurado num vértice qualquer para que as pernas não pesassem tanto ou para que no rosto não estivesse desenhada tanta dessa fadiga.

Mas ele é assim…cola-se a nós e retira-nos a vontade de ver o reflexo despertando-nos para uma realidade tão mais funda que as olheiras que emolduram o olhar.

Mas passa…

…o cansaço passa e deixa apenas mais uma marca ou dias que teimam em denunciar-nos muito mais do que idade.

Irra!!


Comentários:

Já são efeitos secundários do noivado?

Desabafado por: Paulo Moura em 24 Janeiro 2018 | 19:47 

Longe disso.
Frequências, exames e muito trabalho.

Desabafado por: Madalena em 26 Janeiro 2018 | 7:53 
Deixe o seu comentário: